REGULAMENTO COPA AKASP

2018

Capítulo I

REGULAMENTO DESPORTIVO

ORGANIZAÇÃO

ARTIGO 1º - O Campeonato de Kart da AKASP será realizado e controlado pela Comissão Organizadora e seguirá as normas aqui estabelecidas;

Parágrafo 1º - O Kartódromo utilizado (sede) para este ano será o Kartódromo Internacional de Granja Viana – Cotia – São Paulo.

Parágrafo 2º - O campeonato será disputado com início no mês de MARÇO e terá como final o mês de NOVEMBRO;

Parágrafo 3º - As Provas serão realizadas conforme calendário oficial no site akasp.com.br , o piloto que chegar atrasado deverá largar dos boxes após o último kart alinhado do grid oficial.

Parágrafo 4º - A falta no BRIEFING é sujeita a punição.

Parágrafo 5º - Não haverá em hipótese alguma prova sob chuva, utilizando os karts próprios, salvo avalição e autorização técnica.

Parágrafo 6º - Em ocorrendo CHUVA será disputado com KART fornecido pelo KGV, valendo assim para o campeonato, independente de presença ou não de todos os pilotos, ou seja, desta forma haverá TODAS as provas válidas para o campeonato.

 

ARTIGO 2º - Todas as questões não previstas neste Regulamento serão resolvidas pela Comissão Organizadora, Comissão de Pilotos e seus colaboradores (Direção de Prova e Fiscais);

Parágrafo único – É instituído como Comissário Técnico e Responsável Marcelo Felipe da Silva, sendo assim, TODAS dúvidas TÉCNICAS, MECÂNICAS, PISTA, REGULAMENTO deverão ser exclusivamente reportados e discutidos com este.

ARTIGO 3º - A organização e a promoção das provas serão atribuídas a AKASP através da sua comissão organizadora.

ARTIGO 4º - Da participação no campeonato

 

PARTICIPAÇÃO

 

Parágrafo Único – Somente participará do Campeonato de Kart AKASP, pilotos associados ao Clube e com as MENSALIDADES em dia.

 

 

DESISTÊNCIA

Parágrafo 1º - O piloto associado deverá informar seu desligamento da AKASP com antecedência de até 30 (trinta) dias e antes do cálculo do rateio para o mês subsequente.

Parágrafo 2º - Caso comunique sua saída após a divulgação do valor a ser rateado, este valor é devido pelo piloto desistente e seu desligamento oficial é considerado a partir do subsequente ao mês já rateado.

RETORNO AO GRUPO

Parágrafo Único – O retorno do associado ao grupo será sujeito a análise da conduta pessoal e esportiva, bem como financeira junto ao grupo para a decisão do aceite.

ARTIGO 5º - É OBRIGATÓRIO EM TODAS AS CORRIDASindistintamente a utilização de equipamento completo seguindo as exigências do Kartódromo Internacional da Granja Viana como:

  • Capacete em bloco único e viseira;
  • Protetor Cervical tipo colar ou leatte brace (opcional);
  • Bala Clava;
  • Macacão qualquer modelo, Calças e Camiseta de manga comprida;
  • Protetor de costelas;
  • Luvas fechadas;
  • Sapatilha ou tênis;

 

Capítulo II

REGULAMENTO CAMPEONATO
Editado e sugerido gentilmente pelo piloto Bruno Muggler.

DO FORMATO

ARTIGO 6º –  DO CAMPEONATO – O campeonato será realizado neste ano de 2018, dividido em 4 (quatro) torneios intermediários, com 8 (oito) etapas cada um somando 32 (trinta e duas) provas e 1 (hum) torneio FINAL com 8 (oito) provas que se regerá com as seguintes regras:

Parágrafo 1º - Para os TORNEIOS INTERMEDIÁRIOS, estes serão realizados da seguinte forma:

  • O GRID de largada será formado ainda dentro dos boxes, de acordo com a última prova válida realizada, invertendo-se o GRID até a 5ª (quinta) posição do resultado oficial divulgado pela direção do kartódromo;

 

  • A PONTUAÇÃO definida nos torneios intermediários, será a seguinte:
      • Do 24º (vigésimo quarto) colocado até o 7º (sétimo) colocado, diferença de 1 (hum) ponto;

 

      • Do 7º (sétimo) colocado ao 3º (terceiro) colocado, diferença de 2 (dois) pontos;
      • Do 3º (terceiro) colocado ao 1º (primeiro) colocado, diferença de 3 (três) pontos.

 

      • Em cada prova haverá ainda PONTUAÇÃO EXTRA, assim definida:
        • VOLTA MAIS RÁPIDA na prova confirmada pelo resultado da direção de prova do kartódromo, resultará em 1 (hum) ponto extra, a ser somado na pontuação;

 

        • PRESENÇA NA PROVA resultará em 1 (hum) ponto extra, a ser somado na pontuação
          • OBSERVAÇÃO os pontos extras recebidos pela volta mais rápida e pela presença, serão considerados em todas as etapas, não havendo a perda dos pontos bônus das provas descartadas, incentivando assim a presença de todos os pilotos.

 

  • DESCARTE, serão efetuados 2 (dois) descartes, considerados os piores resultados em cada torneio, nestes incluídos as faltas, por tanto valendo para fins classificatórios apenas 6 (seis) provas.
      • Caso o piloto tenha sido punido, esta prova não poderá ser objeto de descarte.

 

  • PENALIDADES serão consideradas para a classificação em cada TORNEIO, sendo zeradas ao término de cada um, ou seja, não serão cumulativos, assim definidos:
      • Cada ADVERTÊNCIA/PUNIÇÃO no transcorrer do campeonato, além da punição de pista, definida pela direção de prova (10 segs., stop and go, exclusão da etapa, entre outros), acarretará também a perda de 2 (dois) pontos na prova;

 

      • O piloto que somar acima de 3 (três) advertências no transcorrer do torneio, estará também sendo punido com a diminuição de 10 (dez) pontos no somatório geral do torneio;
        • Exemplo: O piloto que tomar advertência em 3 provas do torneio, será penalizado em menos 06 pontos (02 pontos por etapa) e será punido adicionalmente com mais 10 pontos de penalização, ou seja, a penalização total para o torneio em questão será de 16 pontos

 

 

Parágrafo 2º - Para o TORNEIO FINAL, este será realizado da seguinte forma:

  • O GRID não haverá inversão durante as provas do torneio final, sendo o grid formado pela classificação no campeonato, sem considerar os descartes e bônus de volta rápida, largando os 8 (oito) pilotos do grupo A nas 08 primeiras posições e logo em seguida os demais pilotos do grupo B

 

  • Após realizada a somatória dos pontos de cada piloto, em cada torneio intermediário, o campeonato será dividido em grupos A e B, assim definidos:
      • O grupo A, será composto pelos pilotos melhores classificados no somatório dos 4 (quatro) torneios intermediários;

 

      • O grupo B, será composto pelos demais pilotos.
  • A PONTUAÇÃO no TORNEIO FINAL, os pilotos iniciarão com a pontuação ZERADA, com exceção dos 3 (três) pilotos melhores classificados do grupo A que receberão respectivamente a seguinte bonificação, 20 (vinte), 10 (dez) e 5 (cinco) pontos e para o torneio final será a seguinte:

 

      • Do 24º (vigésimo quarto) colocado até o 7º (sétimo) colocado, diferença de 1 (hum) ponto;
      • Do 7º (sétimo) colocado ao 3º (terceiro) colocado, diferença de 2 (dois) pontos;

 

      • Do 3º (terceiro) colocado ao 1º (primeiro) colocado, diferença de 3 (três) pontos.

Observação: Os pilotos do Grupo A e B, apesar de estarem separados para a pontuação total do torneio final, disputam entre si em cada etapa, somente tendo diferenciação no grid de largada.

Exemplo: Um piloto do Grupo B terminou em P1, ele marcara 32 pontos naquela etapa, e um piloto do Grupo A que terminou em 2 marcara 29 pontos (mesmo ele sendo o primeiro piloto do grupo A naquela etapa)

 

      • Em cada prova haverá ainda PONTUAÇÃO EXTRA, assim definida:
        • VOLTA MAIS RÁPIDA na prova confirmada pelo resultado da direção de prova do kartódromo, resultará em 1 (hum) ponto extra, a ser somado na pontuação;

 

        • PRESENÇA NA PROVA resultará em 1 (hum) ponto extra, a ser somado na pontuação
          • OBSERVAÇÃO os pontos extras recebidos pela volta mais rápida e pela presença, serão considerados em todas as etapas, não havendo a perda dos pontos bônus das provas descartadas, incentivando assim a presença de todos os pilotos.

 

  • DESCARTE, serão efetuados 1 (hum) descarte, considerado o pior resultado torneio final, neste incluído as faltas.
      • Caso o piloto tenha sido punido, esta prova não poderá ser objeto de descarte.

 

  • PENALIDADES serão consideradas para a classificação em cada TORNEIO, sendo zeradas ao término de cada um, ou seja, não serão cumulativos, assim definidos:
      • Cada ADVERTÊNCIA/PUNIÇÃO no transcorrer do campeonato, além da punição de pista, definida pela direção de prova (10 segs., stop and go, exclusão da etapa, entre outros), acarretará também a perda de 2 (dois) pontos na prova;

 

      • O piloto que somar acima de 3 (três) advertências no transcorrer do torneio, estará também sendo punido com a diminuição de 10 (dez) pontos no somatório geral do torneio;
        • Exemplo: O piloto que tomar advertência em 3 provas do torneio, será penalizado em menos 06 pontos (02 pontos por etapa) e será punido adicionalmente com mais 10 pontos de penalização, ou seja, a penalização total para o torneio em questão será de 16 pontos

 

 

Parágrafo 3º - CLASSIFICAÇÃO FINAL, este será realizado da seguinte forma:

  • Será feito o somatório dos pontos das 5 melhores etapas de cada piloto, considerando seus pontos extras, penalidades e a premiação será a seguinte:

 

      • Os pilotos classificados do 1º (primeiro) ao 8º (oitavo) lugar do Grupo A, receberão TROFÉUS;
      • Os pilotos classificados do 1º (primeiro) ao 3º (terceiro) lugar do Grupo B, receberão TROFÉUS;
      • Para TODOS os demais pilotos participantes serão entregues MEDALHAS alusivas ao campeonato AKASP 2018;
      • Serão também agraciados todos os membros do STAFF com medalhas alusivas ao campeonato AKASP 2018, a título de agradecimento. 

 

Capítulo III

REGULAMENTO FIXO AKASP

DO GRID DE LARGADA COM CHUVA

 

Em havendo situação de impossibilidade da ocorrência da prova por clima chuvoso e sem condição de utilização dos karts próprios, a prova não será cancelada e será assim utilizados os karts do KGV indoor.
O grid é composto com os karts na ordem de alinhamento ESQUERDA ou DIREITA no box, conforme determinação do COMISSÁRIO TÉCNICO, obedecendo a ordem de largada definida para o grid oficial da prova.
Parágrafo 1º - Não há escolha de kart para a prova.
Parágrafo 2º - O kart é lastreado em 90 kg
Parágrafo 3º - No caso de troca, essa deve ser feita durante a prova após a saída dos boxes e, limitada a 4 trocas no ano. No caso de troca antes da largada, durante a volta de apresentação/aquecimento o piloto entra na pista no final do grid.

  • Após formado o grid, estes sairão na ordem indicada formando fila indiana, para posterior largada, autorizada pelo diretor de prova.
  • O número de voltas será determinado pelo traçado utilizado na data da prova tendo como limite o tempo máximo de 25m00” (vinte e cinco minutos).

 

 

LARGADA

ARTIGO 7º – A largada será realizada no formato fila indiana em movimento;

Parágrafo 1º - Formado o GRID, os pilotos sairão na ordem de largada para 1 (uma) ou 2 (duas) voltas de aquecimento dos pneus, sob luz e ou bandeira amarela, na ordenação do grid dentro da canaleta central, as luzes VERMELHAS estarão acesas e ao apagar-se estará autorizada a largada da prova; caso não seja possível utilizar a sinalização luminosa, poderá ser dada a largada através de bandeira verde.

Parágrafo 2º - Haverá sempre que necessário uma neutralização da prova, quando esta atingir 50% das voltas realizadas;

Parágrafo 3º - No transcorrer do campeonato e em cada ETAPA haverá inversão de pista a escolha da comissão técnica (Marcelo Felipe)

PONTUAÇÃO

ARTIGO 8º - A pontuação será considerada conforme tabela abaixo.

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

32

13º

12

29

14º

11

26

15º

10

24

16º

9

22

17º

8

20

18º

7

18

19º

6

17

20º

5

16

21º

4

10º

15

22º

3

11º

14

23º

2

12º

13

24º

1

 

Parágrafo 1º - Caso dois ou mais pilotos terminem a etapa com igual número de pontos, o vencedor será o que tiver maior quantidade PÓDIOS pela ordem 1º lugar, 2º lugar e 3º lugar;

Parágrafo 2º - Caso o empate com pilotos que não possuam pódios, terá a vantagem a melhor colocação;

Parágrafo 3º - O piloto que não participar da prova, não somará nenhum ponto, levando para a tabela 0 (zero) ponto;

Parágrafo 4º - Quando da entrada de novo piloto com o campeonato em andamento, a este será atribuído a pontuação do somatório desde o início, ou seja, provas realizadas a partir de março;

Parágrafo 5º - Fica Obrigado ao parque fechado ou balança, todos os pilotos em cada prova para conferência de Peso do Conjunto Kart x Piloto desde que o equipamento (plataforma balança) esteja disponibilizado pelo KGV.

BONIFICAÇÃO

Este item para o ano de 2018 foi suprimido pelo novo método de disputa.

 

PREMIAÇÃO

ARTIGO 9º - Após o resultado oficial final, já computados os descartes, bonificações e apuradas as punições (pênaltis) serão os premiados:

Parágrafo 1º - Observar a Premiação defina no novo método;

Parágrafo 2º - Para todos os demais pilotos participantes serão entregues medalhas alusivas ao campeonato;

Parágrafo 3º - Serão agraciados todos os membros do STAFF com medalhas alusivas ao campeonato, a título de agradecimento da AKASP;

 

PENALIDADES

ARTIGO 10º - Tem a Direção de Prova e o Comissário Técnico total comando sobre as ocorrências na prova, cabendo a ela a penalização por atitude antiesportiva, que serão tratadas em conformidade com as regras existentes no Kartódromo em consonância com esse regulamento.

Parágrafo 1º- Caso seja confirmada pela Direção da prova através de punição pela ADVERTÊNCIA em pista e constante do resultado, o piloto será punido com 10 segundos acrescidos ao seu tempo total de prova. Esse resultado não poderá ser utilizado para descarte do Parágrafo 2 do Artigo 8º

  • O piloto que somar acima de 3 (três) advertências no transcorrer do campeonato, estará sendo punido com -10 (menos dez) pontos na somatória geral;

 

Parágrafo 2º - Na ocorrência da perda do para-choque dianteiro, o piloto DEVERÁ por indicação de bandeira preta com bola laranja se encaminhar para os Boxes e fazer a reposição do para-choque dianteiro, sob pena de DESCLASSIFICAÇÃO da prova caso não o faça imediatamente após indicação da direção da prova, as demais partes da carenagem não será possível a troca pela demanda de tempo;

ARTIGO 11º - Será penalizado o piloto que em conferência na pesagem do conjunto Kart x Piloto, não atender ao disposto no regulamento com relação ao artigo 18º e seus parágrafos e será punido com a DESCLASSIFICAÇÃO da prova;

Parágrafo Único - Caso seja confirmada a desclassificação de algum piloto na pesagem do conjunto classificação dos demais pilotos será alterada subindo uma posição ou tantas quantas foram detectadas; O Comissário Técnico deve informar o controle AKASP para lançamento nas estatísticas.
O piloto desclassificado não pontua e é considerado AUSENTE na prova.

 

ARTIGO 12º - As COLISÕES traseiras serão tratadas da seguinte forma:

  • Por ocasião do primeiro toque o piloto poderá ser formalmente advertido e terá 10 segundos acrescidos ao seu tempo total de prova desde que não obtenha vantagem injusta sobre o adversário.

 

  • Se o piloto cometer nova infração perderá mais 1 (um) ponto e poderá ser desclassificado da prova.
  • Na eventualidade do piloto tocado ser prejudicado ou alijado da disputa o piloto infrator perde 2 (dois) pontos e será desclassificado da prova, além de perder 10 posições no grid de largada da prova seguinte.

           
ARTIGO 13º - DAS MANOBRAS DE DEFESA DE POSIÇÃO:

  • O piloto que estiver defendendo sua posição poderá trazer seu kart para a linha interna da pista e poderá uma única vez alterar a trajetória inicial para tangenciar a curva. O piloto que alterar sua trajetória por repetidas vezes na pista, de maneira a impedir a progressão do adversário, será punido com advertência e perda de um ponto, além de ter 10 segundos acrescidos ao seu tempo total de prova.

 

  • Na eventualidade da manobra ilegal de defesa prejudicar ou alijar o concorrente da disputa, o piloto infrator perderá um ponto por advertência e será excluído imediatamente da prova, além de perder 10 posições no grid de largada da etapa seguinte.
  • Toda manobra que for considerada injusta e que coloque em risco a integridade física do piloto oponente será punida com a exclusão da prova, perda de um ponto e perda de 10 posições no grid da etapa seguinte.

 

Capítulo II

REGULAMENTO TÉCNICO

CHASSIS

ARTIGO 14º - Somente será autorizado o uso de chassis conforme definição do comissário técnico, sendo que a responsabilidade técnica fica a cargo do Sr. Marcelo Felipe da Silva.

Chassis: MEGA e ou outro autorizado.

Carenagens: todas as partes para-choque dianteiro, gravata, laterais esquerda e direita e para-choque traseiro;

Numeração do kart: Obrigatório a numeração do kart legível com tamanho padrão, na gravata, no para-choque traseiro, nas laterais conforme modelo anexo a este;

Bico Dianteiro: Uso obrigatório com todas as suas partes inclusas, o qual deverá obrigatoriamente estar protegendo as rodas dianteiras;

Para-choque Traseiro: Uso obrigatório com todas as suas partes inclusas, o qual deverá obrigatoriamente estar protegendo as rodas traseiras;

Protetor de corrente: Uso Obrigatório;

Relação Coroa e Pinhão: FIXA para todos os Karts, que serão devidamente dimensionadas pela Comissão técnica e mecânica;

MOTOR

ARTIGO 15º - Somente será permitido o uso do motor Marca HONDA GX390, adquiridos pela AKASP, serão movidos a gasolina de uso automotivo, e somente poderão sofrer manutenção e ou regulagens através de preparador técnico próprio da AKASP;

Parágrafo 1º - Haverá 2 (dois) motores reservas, que serão utilizados quando de quebras ocorridas na pista e identificadas pela comissão técnica que avaliará a situação.

Parágrafo 2º - Será efetuado RODIZIO de motores a cada 8 (oito) PROVAS realizadas e válidas, que será definido pelo comissário técnico a forma de realização, lembrando que os motores RESERVAS também poderão ser colocados nesta situação a critério

Parágrafo 3º - TODOS os motores sem exceção deverão ser numerados de forma indelével e aparente, com o respectivo número do Kart;

Parágrafo 4º - As trocas de motores serão controladas através de planilhas indicando a origem e destino destes, através de sorteio realizado pela Organização e divulgado no site na tabela de RESULTADOS junto com a contagem de utilização dos pneus.

Parágrafo 5º - Quando da saída de pilotos do grupo, este caso queira poderá levar o motor com seu respectivo número, ou caso deixe o KART para ser vendido na AKASP para novo integrante, não sofrerá mudanças na forma de rodízio.   

 

PNEUS

ARTIGO 16º - Somente serão utilizados pneus, conforme orientação técnica como segue:

Pneus: Marca MG modelo “HZ” - “vermelho”, novos.

Parágrafo 1º - Para o início do campeonato, deverão TODOS estar com seus PNEUS NOVOS, mesmo que tenha uma única prova realizada, deverá ser trocado, sob pena de desclassificação da prova em questão.

Parágrafo 2º – No decorrer da copa, serão efetuadas as trocas de pneus na seguinte quantidade:

  • Para os pneus dianteiros DT: 10 trocas

 

  • Para os pneus traseiros TT..: 05 trocas

Observação IMPORTANTE: Somente serão trocados os pneus após confirmação do pagamento dos mesmos antes da prova por cada piloto, condicionando a não troca por falta de pagamento, lembramos que os pneus são pagos a vista no Kartódromo, e para não prejudicar financeiramente o grupo deve-se pagar com antecedência mínima de 1 (um) dia antes da corrida, sujeito as penalidades.

Parágrafo 3º - Para eventuais treinos, o piloto deverá utilizar pneus de treino adquiridos por ele e marcados pelos mecânicos como pneu para este fim (“T” e o nº KART);

Parágrafo 4º - Caso seja utilizado pneu de treino em corrida, o piloto será desclassificado da prova;

Parágrafo 5º - Caso o KART inicie o campeonato com jogos usados de pneus, por qualquer quantidade de voltas, até mesmo apenas 1 (uma), será desclassificado da prova em ocorrência e das demais até a regularização da troca por jogos novos;

 

PESO DA CATEGORIA

ARTIGO 17º - Peso mínimo do conjunto (equipamento + piloto + KART) fica definido em:

185 (cento e oitenta) quilos.

Parágrafo único – A conferência do equipamento no quesito “LASTRO” é de responsabilidade única e exclusiva do piloto, bem como a verificação das condições usuais, como distância das pedaleiras de freio e acelerador, pneus se estão cheios, a calibragem é de responsabilidade dos mecânicos que entregam TODOS os KARTS com a devida calibração e limpos.

ARTIGO 18º - Não é permitido retirar o equipamento (kart/motor) do Kartódromo durante o campeonato, caso seja necessário e autorizado pela comissão técnica, seu retorno deverá ser avaliado pela equipe técnica que certificará sua configuração padrão (custo da avaliação por conta do piloto).

ARTIGO 19º - Qualquer situação que não esteja previsto nos artigos deste regulamento relacionados será avaliado pelo Comissário Técnico e se necessário colocado em prática imediatamente para segurança de todos os pilotos na pista;

ARTIGO 20º- Tudo que não está explicitamente indicado e ou citado neste regulamento fica rigorosamente PROIBIDO e não autorizado sua execução sem avaliação da comissão organizadora e comissários técnicos, acarretando a desclassificação da prova.

 

Este regulamento entra em vigor na data de sua publicação

São Paulo, Janeiro de 2018.
AKASP Associação Paulista de Kart Amador
Comissão Organizadora e Pilotos.

 
Curta nossa página no Facebook